Como fazer planos de carreira para os funcionários?

Como fazer planos de carreira para os funcionários?

Como fazer planos de carreira para os funcionários?

Já faz algum tempo que o salário deixou de ser o principal atrativo em uma vaga de emprego. Os candidatos, hoje em dia, estão em busca também de benefícios qualitativos e de longo prazo, e planos de carreira são uns dos mais valorizados pelos profissionais.

O mercado está formando cada vez profissionais mais completos e preparados. Desafios que antigamente demandavam pessoas e perfis diferentes para serem resolvidos, hoje estão sendo atribuídos para um único colaborador. Isso significa que as empresas estão esperando cada vez mais resultados de seus funcionários, o que precisa ser acompanhado de um mecanismo de retorno e crescimento. Não adianta somente oferecer uma remuneração agressiva e não investir de fato na qualificação e gestão da carreira dos colaboradores, pois isso pode resultar em alta rotatividade e desmotivação.

Para reter bons funcionários e viabilizar o crescimento do seu lucro através de um time de alta performance, é preciso evitar demissões e novas contratações. Para isso, listamos o que você precisa saber na hora de fazer planos de carreira para seus funcionários. Confira!

1. Alinhe os interesses da empresa aos interesses dos funcionários

Esse cuidado deve ser tomado como forma de garantir que o planejamento realizado produza resultados interessantes tanto para o colaborador quanto para a organização. Por isso, é importante que você encontre um equilíbrio entre o que é bom para sua equipe e como a empresa pode crescer com isso.

Os objetivos da empresa você já conhece, não é mesmo? Agora é o momento de conversar com os funcionários individualmente para conseguir entender quais são as pretensões profissionais e pessoais. Entenda com ele quais cargos ele pretende ocupar no curto e longo prazo. Quais competências são fundamentais para estar preparado para essas posições? A partir desse levantamento, é o momento de estabelecer um planejamento.

2. Potencialize as forças

Procure focar nos pontos fortes de cada colaborador no momento de fazer planos de carreira. É muito mais fácil e proveitoso potencializar as habilidades que o profissional já possui do que desenvolver novas competências.

Esse enfoque nos pontos positivos do funcionário também agiliza o crescimento individual e traz resultados para a empresa em um tempo menor se comparado com o desenvolvimento de novas habilidades. Além disso, a capacitação demorada gera gastos para a empresa e o retorno tende a ser demorado também.

Uma dica é que uma expertise, em geral, se torna mais reconhecida quando aplicada de forma inovadora. Dessa forma, incentive o funcionário a “pensar fora da caixa” para aproveitar seus pontos fortes de modos criativos e práticos, para que ele ganhe reconhecimento e visibilidade dentro da organização, mesmo que não seja diretamente na sua área de atuação.

3. Estabeleça metas

Com base nos pontos diagnosticados no funcionário e o entendimento de seus objetivos, é preciso criar um plano franco e aberto a adaptações.

Metas e prazos para cumprimento das atividades necessárias para a evolução no plano de carreira são fundamentais. Tanto a empresa, quanto o profissional, precisam estar cientes de que é preciso tomar decisões realistas com relação aos passos que serão dados e os limites que podem ser atingidos.

A melhor forma de construir isso de forma estruturada é através de um cronograma de datas e atividades para ser acompanhado pelo gestor do funcionário.  Seu funcionário almeja um cargo gerencial, mas não tem um curso superior? Ele pretende fazer um curso de idiomas, mas não tem disposição de ir as aulas?  O papel do gestor é de estimular os funcionários a atingirem as metas profissionais buscando capacitação e planejamento.

4. Faça avaliação periódica e readequações

É muito comum os funcionários mudarem os objetivos no decorrer das ações dos planos de carreira. Isso acontece com nós mesmos, não é verdade? Por isso, as avaliações periódicas e as readequações são tão importantes para o sucesso de um planejamento a longo prazo.

É claro que, se as mudanças forem constantes e os propósitos variarem muito em um intervalo de tempo relativamente pequeno, a ação do gestor tem de ser diferente, pois significa que o próprio funcionário não tem claro em sua cabeça aonde ele pretende chegar. Além disso, é fundamental que o gestor esteja capacitado sobre como conduzir um feedback estruturado.

As avaliações e as readequações servem para manter o funcionário motivado, ajustando as rotas, e também para garantir que os planos de carreira estejam sendo interessantes do ponto de vista da organização.

O gestor pode se apoiar em ferramentas de controle de produtividade, capacitação, canais de comunicação, dados sobre o ROI de um treinamento realizado, relatórios de desempenho e demais dados para realizar um planejamento eficiente e que resulte em vantagem competitiva para a empresa.

Um plano de carreira estruturado e engajador é uma chave valiosa também para reduzir o turnover e ter um time orientado ao aumento de produtividade. Se você gostou das nossas dicas e acha importante que outras pessoas conheçam sobre planos de carreira, nos acompanhe nas redes sociais (Facebook e Linkedin) e se inscreva na nossa newsletter!

 

testes online em candidatos

Guilherme Dias | GUPY

Atua com Marketing e Growth sendo CMO & Co-founder na Gupy. Através de uma consultoria de business em que foi sócio, descobriu que adora otimizar processos, redesenhar soluções de gestão e trazer resultados mais agressivos para negócios. É curioso e apaixonado por Recursos Humanos, séries e gastronomia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Enter your keyword

/** * Linkedin Insight Tag **/ /** * END OF Linkedin Insight Tag **/