Como aumentar a eficiência do recrutamento para evitar excesso de trabalho?

Como aumentar a eficiência do recrutamento para evitar excesso de trabalho?

Como aumentar a eficiência do recrutamento para evitar excesso de trabalho?

Um processo seletivo bem estruturado sempre vai demandar um investimento de tempo por parte do time de RH e gestores, além do custo por trás da execução de todas as etapas. No mundo atual, todas as organizações estão constantemente buscando novas táticas e processos para otimizar sua operação. Na área de Recursos Humanos não seria diferente, por exemplo, na busca por reduzir o esforço e aumentar a eficiência do recrutamento.

O desafio maior está em como trazer essa otimização e ainda garantir a qualidade e precisão na contratação. Em um estudo realizado recentemente pelo site CareerBuilder, 87% dos empregadores brasileiros relataram que se sentem afetados por contratações mal feitas. São diversos os impactos de um processo que não encontra a pessoa certa, como o não alcance dos resultados, custos de treinamento que não retornam o investimento e turnover, por exemplo.

Com o avanço da tecnologia, as metodologias de R&S em empresas do mundo todo tiveram de se adaptar à nova realidade, deixando de lado aqueles anúncios de emprego em jornais, entrega de currículos impressos porta a porta e até as aprovações em papel que, hoje, podem ser feitas por um sistema de workflow.

Confira um pouco do que hoje já é realidade quando falamos de ter um recrutamento simples e que evita o excesso de trabalho:

Processo seletivo online

Com o objetivo de ser mais ágil, o recrutamento online começou a ganhar espaço nos processos, assim como a criação de novas ferramentas possibilitou a economia de tempo e redução de custos.

Segundo Wagner Costa Santos, especialista adepto às inovações tecnológicas, quando são realizadas entrevistas por videoconferência, por exemplo, não existe aquela velha desculpa da dificuldade do candidato para chegar ao local da entrevista ou com a logística de deslocamento.

Profissionais de qualquer lugar do Brasil podem participar, diminuindo gastos para ambas as partes, tanto para o candidato, que não precisa gastar com a transporte, quanto para a empresa, que economiza com aluguel de sala e coffee break. Então, em custo e tempo, o processo é bem mais eficiente.

Outro método também válido é o questionário por vídeo. O recrutador envia um questionário para o participante, que grava as respostas em vídeo. Caso sejam identificadas características que o desqualificam para a vaga, ele não avalia mais o candidato e passa imediatamente para o próximo.

Ainda podem ser aplicados testes e provas online, servindo de “peneira” e evitando a necessidade da realização de diversas dinâmicas ou entrevistas para triagem.

Um adeus ao excel

Quando a organização não é adepta a softwares para a gestão do recrutamento e seleção, geralmente recebe os currículos por e-mail e realiza os controles por planilhas, porém, muita gente não gosta de preenchê-las ou só o faz porque é obrigatório, sem contar o tempo em que se leva para atualizá-las.

Se você identifica a realidade da sua organização nesse cenário, não se sinta só. Algumas pesquisas mostram que mais da metade das organizações brasileiras utilizam somente o excel na gestão dos seus processos seletivos, e esse número aumenta muito quando falamos de pequenas e médias empresas.

Embora o excel seja uma ferramenta poderosa para todas as áreas de uma empresa, depender somente dele para um processo tão estratégico como o recrutamento traz impactos sérios na eficiência, gestão do conhecimento e inteligência na contratação. Com a utilização de plataformas e sistemas voltados para a gestão do processo seletivo, o recrutador pode triar os candidatos de diversas fontes, aplicar filtros, se comunicar diretamente com eles, gerenciar suas etapas, compartilhar perfis com diferentes usuários da organização e contar com métricas e indicadores para elaborar análises e caminhar em direção à melhoria contínua.

Prazos e cronogramas vêm para ajudar

Um processo de contratação de qualidade não está diretamente ligado ao tempo que é investido. Tanto contratações lentas como rápidas demais podem ser prejudiciais na precisão e assertividade do recrutador.

Muitas empresas acabam por apressar o processo de recrutamento e seleção com a falsa ideia de que isso significa eficiência. Porém, isso pode levar a diversos malefícios na qualidade de sua execução, como fazer com que gestores não se preparem para as entrevistas e não consultem as referências e antecedentes dos candidatos, por exemplo.

O formato ideal é aquele que segue um cronograma que considera o timming ideal para cada etapa. Para isso, decida qual é o tempo a ser investido com atração, com revisão de currículos, com dinâmicas, etc. Isso ajudará a criar um processo de contratação mais consistente e realista.

Mergulhar com tudo na rede

As redes sociais se tornaram ferramentas poderosas para trazer mais eficiência e agilidade na busca por profissionais, e claro, reduzindo custos. De 2011 para 2016, houve um aumento de mais de 150% nas empresas que reconhecem utilizar redes sociais profissionais para contratar pessoas no Brasil.

Avaliar os perfis de candidatos, históricos e comportamentos para identificar habilidades e valores comuns com sua empresa, pode trazer insights interessantes para as perguntas a serem feitas em uma entrevista, por exemplo.

Outra possibilidade interessante é a divulgação de vagas nas mídias sociais das empresas. Um trabalho bem construído de atração pode identificar quais são as origens dos candidatos que mais performam nos seus processos e direcionar os esforços nos canais certos de atração, como grupos de faculdades ou cursos específicos.

Recrutamento interno tem potencial

O recrutamento interno consiste em apontar funcionários da própria empresa para novas vagas, desde que que atendam pré-requisitos estabelecidos. Este método acaba sendo muito pouco utilizado na prática pelas organizações, embora possua um incrível potencial pois elimina parte da incerteza na contratação.

Um ponto importante para que o recrutamento interno atinja seu objetivo é que o RH esteja cada vez mais próximo do time de funcionários da empresa. Ele deve estar apto a identificar quais funcionários podem ser convocados para a candidatura em novas oportunidades. Dessa forma, ferramentas como avaliações de desempenho e canais de comunicação bem estruturados são fundamentais.

Estratégia em primeiro lugar

Os critérios de seleção devem ser definidos antes de todo o processo, para que o RH busque profissionais mais compatíveis e potenciais, fazendo o gerenciamento de vagas e candidatos mais organizado e certeiro.

O profissional da área de RH deve possuir know-how e ser adaptável às novas formas de trabalhar para ultrapassar as diversidades

O fato é que recrutamentos modernos estão se tornando cada vez mais comuns, porém, grande parte das empresas ainda não adotou essa nova forma de recrutar. Inicialmente, as planilhas até são boas opções para fazer a gestão, porém, a área de RH não pode deixar de acompanhar os avanços, e mais ainda, se beneficiar deles. 

Já está preparado para otimizar seu processo seletivo? Acompanhe as novidades nas nossas redes sociais (Facebook e LinkedIn)!

 

testes online em candidatos

Guilherme Dias

Atua com Marketing e Growth sendo CMO & Co-founder na Gupy. Através de uma consultoria de business em que foi sócio, descobriu que adora otimizar processos, redesenhar soluções de gestão e trazer resultados mais agressivos para negócios. É curioso e apaixonado por Recursos Humanos, séries e gastronomia.

Um Comentário

  1. jjanete
    27/02/2017 at 13:34 pm

    muito bom o seu artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Enter your keyword